PTR Alfa





Se és novo por cá apresenta-te que te garanto que serás bem recebido
Bem vindo à casa do Clã PTR Alfa
PTR Alfa

Clã de Jogos da Playstation 3

Últimos assuntos

» TamaGuucha no youtubas :p
Sex 20 Jun 2014, 22:19 por TamaGuucha

» Battlefield Hardline
Sab 07 Jun 2014, 10:04 por Pires891

» Xbox One – Pré-reservas batem recordes na loja Blockbuster
Sex 06 Jun 2014, 21:14 por Pires891

» Watch Dogs
Seg 02 Jun 2014, 19:42 por pcruz95

» Qual o/s perk/s que mais vos irritou na história do Cod??
Seg 26 Maio 2014, 21:55 por zeph_ch1qo

» PS4 - Tirar algumas das dúvidas mais importantes
Seg 26 Maio 2014, 15:18 por Pires891

» Open packs com Digasbeicinho e PIWBA 360 FIFA 2014
Dom 25 Maio 2014, 15:10 por PIWBA

» Cod Ghosts no seu melhor
Sab 24 Maio 2014, 10:40 por Pires891

» Official Call of Duty®: Advanced Warfare Reveal Trailer
Sab 24 Maio 2014, 08:13 por Pires891

» Qual é a tua arma favorita no MW2?
Qua 21 Maio 2014, 17:47 por carnavall

» carnavallno BF4
Seg 19 Maio 2014, 15:09 por warcreator

» League of legends
Ter 11 Mar 2014, 15:47 por Psipunisher

» Maluqueiras no GTAV
Dom 02 Mar 2014, 19:23 por warcreator

» Borderlands 2′s Last DLC, Sir Hammerlock and The Son Of Crawmerax
Qua 19 Fev 2014, 17:36 por carnavall

» PS4 Guides - Como Criar a cross-game party na PlayStation 4
Seg 20 Jan 2014, 15:10 por carnavall

» Battlefield 4
Sab 18 Jan 2014, 19:09 por mitrense

» Sondagem - PS4
Qua 15 Jan 2014, 18:47 por moreira88

» Official Call of Duty®: Ghosts Onslaught DLC Pack
Seg 13 Jan 2014, 21:10 por HFDesign

» Battlefield vs Call of Duty Rap Battle
Sex 13 Dez 2013, 12:27 por warcreator

» Call of Duty: Ghosts: Vídeo "DLC Wolf"
Qui 12 Dez 2013, 19:26 por warcreator

» Battlefield 4 China Rising Map Overviews; Guilin Peaks, Altai Ran
Sab 30 Nov 2013, 10:22 por mitrense

» Vejam como funcionam os comandos de voz da PS4
Ter 26 Nov 2013, 13:49 por HFDesign

» Série Battlefield Friends ;)
Ter 26 Nov 2013, 13:06 por warcreator

» MEO XLPARTY FIL 2013 - INSCRIÇÕES & TORNEIOS
Ter 26 Nov 2013, 12:27 por PTGAMERLAN

» Torneio de FIFA 14 - PS4
Seg 25 Nov 2013, 18:11 por PTGAMERLAN

» Nova funcionalidade PS4
Dom 24 Nov 2013, 13:04 por Mortal_89

» Teaser do novo Uncharted
Seg 18 Nov 2013, 14:23 por Mortal_89

» Ps4 desfeita no dia de lançamento
Dom 17 Nov 2013, 17:40 por HCDnB

» O Worten Ultimate Challenge está de volta!
Ter 05 Nov 2013, 12:04 por carnavall

» Instruções para fazer o Upgrade de jogos da PS3 para a PS4
Seg 04 Nov 2013, 00:24 por HFDesign

» Sony publica o derradeiro guia sobre a PlayStation 4
Qua 30 Out 2013, 20:48 por HFDesign

» Todos os mapas de Uncharted 3 estão gratuitos
Qua 30 Out 2013, 18:12 por TamaGuucha

» Novos rumores apontam mais problemas para a Xbox One
Qua 30 Out 2013, 18:09 por TamaGuucha

» Aplicação da PlayStation estará disponível na Europa a 22 de Nov.
Qua 30 Out 2013, 12:08 por HFDesign

» Conteúdos exclusivos PlayStation de ACreed 4 fora das outras!
Qua 30 Out 2013, 12:07 por HFDesign

» GTA V eleito o melhor jogo do ano nos Golden Joystick Awards
Ter 29 Out 2013, 13:52 por warcreator

» Função Suspender/resumir não estará disponível no lançamento
Ter 29 Out 2013, 10:59 por HFDesign

» Killzone: Shadow Fall quase sem loadings
Ter 29 Out 2013, 10:58 por HFDesign

» PlayStation 4 não permite wallpapers personalizados!
Ter 29 Out 2013, 10:57 por HFDesign

» Official Call of Duty®: Ghosts Extinction Reveal Trailer
Seg 28 Out 2013, 21:18 por HFDesign

» Anunciadas as especificações finais da Playstation 4
Seg 28 Out 2013, 21:17 por HFDesign

» Exclusive Battlefield 4 Flood Zone - Video Gravado em Estocolmo
Sex 25 Out 2013, 19:40 por HFDesign

» Battlefield 4 multiplayer em1ª mão Paracel Storm and Obliteration
Sex 25 Out 2013, 11:20 por HFDesign

» Battlefield 4 - novo mapa Flooded e modo de jogo Defuse 5 Vs 5
Sex 25 Out 2013, 11:09 por HFDesign

» PlayStation: The Best Place #4ThePlayers to Play
Qui 24 Out 2013, 17:45 por warcreator

» Party Chat de voz na PS4 suporta até 8 utilizadores
Qui 24 Out 2013, 17:44 por warcreator

» PS4 permite a utilização de nomes reais no lançamento
Qui 24 Out 2013, 17:44 por warcreator

» MGS 5
Sex 18 Out 2013, 07:43 por Rubenzito1995

» Canal de Compilações FIFA Youtube
Qua 09 Out 2013, 11:50 por hugocruzz

» GTAV multiplayer
Dom 22 Set 2013, 21:21 por carnavall

» Poderão experimentar PES 2014 a 11 de setembro
Sab 24 Ago 2013, 16:55 por HFDesign

» Anunciado Minecraft para a PS4
Sab 24 Ago 2013, 16:54 por HFDesign

» Upgrade de Call of Duty: Ghosts para a PS4 e Xbox One
Sab 24 Ago 2013, 16:53 por HFDesign

» BF3 cinema...
Dom 18 Ago 2013, 10:55 por mitrense

» Dying light
Sab 17 Ago 2013, 18:07 por HCDnB

» Call of Duty: Ghosts - Toda a Informação sobre o Jogo Single e MP
Sab 17 Ago 2013, 12:56 por mitrense

» CALL OF DUTY GHOSTS MULTIPLAYER GAMEPLAY
Qui 15 Ago 2013, 08:31 por warcreator

» Sony prepara pacote com PlayStation 4 e Vita por 500$
Sex 09 Ago 2013, 21:05 por Mortal_89

» PTR ALFA - Treino e Tácticas - by General Kerbey
Dom 04 Ago 2013, 11:41 por TamaGuucha

» Futura oferta PSN
Dom 04 Ago 2013, 11:21 por mitrense

» Que brinquedo ;)
Qui 01 Ago 2013, 19:51 por mitrense

» Batman: Arkham Origins Multiplayer: Invisible Predator Online!
Qui 01 Ago 2013, 12:04 por HFDesign

» Battlefield: Bad Company
Sab 20 Jul 2013, 05:06 por Alon

» Novos detalhes de Battlefield 4 revelados
Sex 19 Jul 2013, 00:53 por carnavall

» PlayStation 4 suportará Headsets sem fios da sua antecessora
Qui 18 Jul 2013, 23:08 por warcreator

» PS Plus - Ofertas do mês de Agosto!
Qui 18 Jul 2013, 23:07 por warcreator

» O trio de personagens de GTA V não será jogável desde o início
Qua 17 Jul 2013, 11:57 por HFDesign

» FIFA 14 vai ter 19 clubes brasileiros
Qua 17 Jul 2013, 11:56 por HFDesign

» Sony vai descontinuar serviços Online de MAG e SOCOM
Qua 17 Jul 2013, 11:55 por HFDesign

» Modo multijogador de Call of Duty: Ghosts revelado em breve
Qua 17 Jul 2013, 11:54 por HFDesign

Quem está conectado

1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante :: 2 Motores de busca

Nenhum


[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 129 em Dom 07 Nov 2010, 20:49

Login

Esqueci minha senha


Estatísticas

Os nossos membros postaram um total de 167131 mensagens em 8520 assuntos

Temos 2497 usuários registrados

O último usuário registrado atende pelo nome de miguel27


    ANÁLISE EUROGAMER - ENSLAVED: Odyssey to the West

    Compartilhe

    Devhour
    [Forum] Brigadeiro
    [Forum] Brigadeiro

    Idade : 33
    Localização : Santo Tirso
    Data de inscrição : 15/06/2009
    PSN ID : Devhour
    GamerTag : talk to the hand!

    ANÁLISE EUROGAMER - ENSLAVED: Odyssey to the West

    Mensagem por Devhour em Ter 12 Out 2010, 11:15

    ENSLAVED: Odyssey to the West

    A Ninja Theory não fez por menos com Enslaved na tentativa de inscrever a sua produção no cardápio das grandes produções. A presença do conhecido actor Andy Serkis (movimentos e voz de Monkey) e o argumento desenvolvido pelo guionista Alex Garland são apenas alguns dos atributos que pretendem demonstrar firme seriedade depois de Heavenly Sword, a primeira obra do estúdio que apesar de satisfatoriamente aceite junto da crítica e dos fãs ficou algo distante de balizar novos padrões para o género. É certo que padecia (como outras produções) de alguns defeitos geralmente à mostra nos títulos de estreia, quanto mais não seja pela incapacidade de explorar um novo patamar tecnológico.

    No fim de contas, Enslaved pretende corrigir essas dificuldades e inscrever um conteúdo mais sólido, prolongado, com melhores e mais elementos para interagir e sobretudo prender o jogador pela narrativa envolvente que a cada capítulo o deixa na expectativa. No fundo é uma obra original, e ainda que não modifique rotundamente muitos elementos que lhe garantem sustento em interactividade, vive sobretudo do ambiente pós-apocalíptico que lhe serve de sustento e da interacção entre as personagens, num relacionamento inevitavelmente próximo capaz de recordar outras produções como ICO, pela fatalidade com que certos destinos se cruzam.

    Assim, iremos controlar e seguir de perto a aventura de Monkey e Trip nuns Estados-Unidos despedaçados, começando por uma visão nova-iorquina distante 150 anos do presente tempo, uma cidade e país mergulhados em absoluto estado-choque: arranha céus em ruínas, cobertos por uma densa e viva vegetação (a natureza cobre tudo), sem viv'alma. Pela frente só os obstáculos dos edifícios tombados e o perigo da maquinaria robótica em alerta vermelho. Enceta-se a fuga.

    Monkey é um escravo feito prisioneiro numa colossal máquina voadora. Em tempos combateu criaturas mecânicas, vulgo robôs, que pelo domínio orquestrado no planeta fizeram valer a sua força diante dos humanos, agora seres em extinção sob ameaça permanente. Ele encarna o espelho da resistência e Trip, também prisioneira quer regressar a casa para junto da sua comunidade isolada nas montanhas.

    A ligação entre as duas personagens tem lugar no primeiro capítulo, num dos segmentos mais explosivos e empolgantes da obra. Enslaved entra com a força toda. Na verdade, Monkey consegue evadir da cápsula, observando pela janela que é uma rapariga hábil em tecnologia que abre as celas e causa dificuldades ao aparelho voador. Apesar de liberto, nem tudo lhe corre bem já que Trip certifica-se de aplicar a seu favor um mecanismo preso à cabeça do protagonista, ficando ambos irremediavelmente atados a partir daí. Além disso, se ela perder a vida, ele absorve uma carga letal de energia que o liquida imediatamente.

    Durante a fuga uma boa parte do tempo é passada em corredores internos; não se sabendo do lugar, apenas do alerta geral que soa com gravidade. Eis, porém, que a dado momento uma explosão rasga uma secção lateral e logo damos conta que afinal estamos a bordo de uma colossal nave, um cruzeiro dos céus, que não é mais do que uma enorme prisão ambulante e que aos poucos vai perdendo peças. Caminha para destruição e despenhamento.

    É uma das passagens mais fascinantes pois em fundo e no meio daquela fuga onde cada pedaço de chapa descola, observamos os primeiros sinais de uma Nova-Iorque pós apocalítica, onde a vegetação cobre betão e os edifícios não são mais que vultos dilacerados e vazados pela força de um confronto. As famosas pontes sobre o rio Hudson, com os seus tabuleiros quebrados permanecem desligadas, sobra ferro amolgado, chapa e destroços acumulados. Monkey e Trip conseguem escapar momentos antes antes da nave se desfazer algures na cidade, causando uma enorme nuvem de fumo negro.

    A convivência entre Monkey e Trip pauta-se pela surpresa e a princípio o espadaúdo quase aperta o pescoço à "engenheira" depois de descobrir que a peça que leva atada ao cérebro é controlada por ela e que à custa disso ela quer servir-se de um meio para chegar à sua comunidade. A partir desse instante ambos serenam e ele providencia a força e habilidade para o combate enquanto que ela dá pistas e utiliza mecanismos para desbravar caminho ao longo dos destroços.

    Trip é uma personagem indefesa, Monkey tem perfeita noção disso e sabe que não a pode perder, caso contrário é "gameover". É pela interacção e sobretudo cooperação entre os dois que se dá a volta às situações perigosas. De certo modo Trip é a inteligência, Monkey a força. Ela é útil, por exemplo, para criar fogo de cobertura enquanto que ele avança até determinado ponto próximo dos adversários. Através do L1 o nosso radar aponta sempre para a parceira, sendo conveniente nunca a perder de vista. Além disso com ela poderemos incrementar o nosso potencial de ataque, escudo, saúde e utilização do equipamento. Noutras situações será necessário dar ordens, pedindo que ela vá até determinado ponto para abrir uma porta, baixar ou fazer subir uma ponte móvel. São por demais e variadas as situações em que ambos juntam esforços.

    A interacção entre os dois é, assim, um elemento fundamental no jogo, sendo que, é evidente alguma facilidade na execução dessas tarefas, que a dada altura não é mais que uma operação de rotina. Os puzzles são por vezes demasiado óbvios e o caminho para os resolver não oferece grande dificuldade, sobretudo pelas pistas dadas, seja por uma estrutura que reluz, seja porque não há outra forma de prosseguir. É também pela força que Monkey faz Trip chegar a zonas distantes, arremessando-a como se de um objecto leve se tratasse.

    Por outro lado o sentido de plataformas é demasiado linear e não castra o jogador nas situações em que a personagem ficaria mais vulnerável, por efectuar um salto antes do tempo, tentar uma ladainha demasiado afastada. Não há risco de se aproximarem da beira de um telhado alto e caírem, simplesmente porque o salto só é operado quando estão a progredir pelo caminho certo. A linearidade e facilidade na progressão entre as áreas tem um mérito; permitir uma visibilidade imediata sobre o terreno deslocando a atenção sobre os inimigos espalhados, particularmente as torres de vigilância. Enslaved veste-se melhor como jogo de acção, enquanto as plataformas acabaram algo simplificadas. Sente-se também alguma leveza e agilidade na movimentação da personagem cuja velocidade e postura mais côncava por forma a desviar e abrigar o corpo dos disparos inimigos é "activada" de forma automática.
    São sempre bonitas.

    O combate é um dos momentos altos de Enslaved. À semelhança de Heavenly Sword, Monkey serve-se de uma espada capaz de cortar em pedaços a maquinaria robô ao mesmo tempo que ainda projecta bombas de plasma que retiram os escudos dos inimigos; uma espécie de tranquilizador. Noutra situação é possível carregar um disparo altamente explosivo sobre os adversários. Há uma tendência para o típico "smash button" não prejudicar; os combos ainda são escassos e a maior dificuldade não se instala na resistência proporcionada pelos adversários mas no esquema adoptado para os derrubar. Quase sempre cada combate mais épico e importante implica alguma interacção com o cenário, atraindo o adversário para certo ponto ou obrigá-lo a agir num sentido. O golpe final surge muitas vezes sob a forma de "quick time event", ou seja, premir determinado botão ou sequência de botões num curto espaço de tempo.

    A utilização dada à nuvem que mais parece uma prancha de surf voadora permite a Monkey usar o cenário em seu favor para fugir do bestiário robótico e abrir caminho. Com maior velocidade e rotação nem por isso o motor gráfico Unreal 3 que ampara o jogo dá sinais de abrandamento, senão algumas falhas de renderização.

    A componente narrativa penetra bem nos percursos do jogo, em doses adequadas, tendo por base "cut-scenes" que garantem uma boa definição das personagens. Em Heavenly Sword a Ninja Theory alcançara um bom compromisso nos diálogos e encenação. Neste jogo o patamar adquire mais alguma dimensão em função do ambiente e da motivação que liga as personagens cada vez que se embrenham naquele país despedaçado. Os constantes "flashbacks" que assolam Monkey tornam-se cada vez mais evidentes e a relação com Trip vai ganhando outras ramificações, ao mesmo tempo que os dois se aproximam emocionalmente. Importa ressalvar os momentos mais descontraídos, o pontual humor e até nas situações de dificuldade acabam por esgrimir argumentos sem perder tom humorístico.

    Enslaved: Odyssey to the West responde da melhor forma a Heavenly Sword. É um jogo mais prolongado; uma aventura capaz de relançar a interacção e cooperação entre personagens que se completam, sendo sobretudo no plano da acção e da exploração que é mais visível o aprumo. A particular simplificação das plataformas tantas vezes de forma linear e evidente, cerceia algum do esforço geralmente empregue noutras alternativas. Uncharted 2 ou Tomb Raider: Underworld, sobretudo este, proporcionam outros desafios se compararmos. Todavia, nota-se que Enslaved obedece a um esquema que não prende o jogador, senão nalguns combates, mas uma vez percorrido torna-se numa experiência gratificante e completa. "

    8/10

    Fonte da análise - Eurogamer.pt




    daysload
    Utilizador assiduo Forum
    Utilizador assiduo Forum

    Idade : 27
    Localização : Cascalheira with Love
    Data de inscrição : 01/01/2010
    PSN ID : daysload

    Re: ANÁLISE EUROGAMER - ENSLAVED: Odyssey to the West

    Mensagem por daysload em Ter 12 Out 2010, 17:17

    Já andei a ver umas imagens e o trailer e pelas opiniões parece ser um bom jogo, com uma boa mequanica e uns grafico upa upa.
    Se após comprar a minha ps3 sobrar uns trocos, talvez compre este. :p

    gdpa69
    Utilizador priveligiado Forum
    Utilizador priveligiado Forum

    Idade : 21
    Localização : Estoril
    Data de inscrição : 23/09/2010
    PSN ID : gdpa69

    Re: ANÁLISE EUROGAMER - ENSLAVED: Odyssey to the West

    Mensagem por gdpa69 em Ter 12 Out 2010, 17:19

    eu devo comprar, ta brutal Very Happy

    ONIL80
    Sub-Lider de equipa

    Idade : 36
    Localização : PORTO
    Data de inscrição : 14/09/2008
    PSN ID : ONIL80

    Re: ANÁLISE EUROGAMER - ENSLAVED: Odyssey to the West

    Mensagem por ONIL80 em Ter 12 Out 2010, 19:01

    o mal e que so dura 8h prai Embarassed


    _______________________________________________________________________________________________________






    dani47
    [Forum] Tenente
    [Forum] Tenente

    Idade : 31
    Localização : Covilhã- Castelo Branco
    Data de inscrição : 14/03/2008
    PSN ID : dani47

    Re: ANÁLISE EUROGAMER - ENSLAVED: Odyssey to the West

    Mensagem por dani47 em Ter 12 Out 2010, 19:54

    eu já acabei pra xbox360, é fixe , pena ser pequeno como disse o Onil , em cerca de 8 horas chegam ao fim.
    mas era jogo que não dava 70euros , preferia esperar mais um tempo e depois comprava.se em segunda mão.

    Conteúdo patrocinado

    Re: ANÁLISE EUROGAMER - ENSLAVED: Odyssey to the West

    Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 11:48


      Data/hora atual: Dom 11 Dez 2016, 11:48